População LGBT é retirada das diretrizes dos Direitos Humanos

As mudanças no governo de Jair Bolsonaro começou a ter reações do público.

A Medida Provisória de nº 870/19, assinada por Jair Bolsonaro (SPL) nesta terça-feira (1), retirou a toda a população LGBT da lista de políticas e diretrizes destinadas à promoção dos Direitos Humanos.

A Ministério Público explicita novas mudanças na estrutura dos ministérios, incluindo o novo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, todos estes será comandado pela pastora Damares Alves.

Hoje os direitos humanos abrange explicitamente as “mulheres, crianças e adolescentes, juventude, idosos, pessoas com deficiência, população negra, minorias étnicas e sociais e Índios”.

Nessa classe estão de fora as pessoas LGBT que antes tinham olhos para a estrutura da Secretaria Nacional de Promoção.

O conselho Nacional de Discriminação continua, mas de acordo com o decreto tem a função de formular uma ação governamental para propor as diretrizes.

As pastas não foram ainda detalhas para a população LGBT, assim as ações ainda não serão executadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *