Melhores Investimentos para 2018

Os 4 melhores investimentos para você lucrar agora

Ainda dá tempo de você começar a planejar a sua vida financeira para objetivos futuro, e por que não começar isso agora?

Além de você criar planilhas organizando suas finanças é necessário realizar alguns investimentos para ficar ainda mais próximo da sua grande meta.

Hoje, existem inúmeros meios de investimentos que você pode escolher, mas para um resultado memorável resolvi facilitar ainda mais.

Separei os 4 melhores investimentos de 2018, para os três perfis! Assim você pode realizar os seus objetivos de forma rápida e com bastante dinheiro no bolso!

1. Tesouro Direto

O primeiro investimento já não é uma novidade por aqui, pois já trouxe um artigo completo falando sobre o Tesouro Direto. Mas atualmente, muitos comentam sobre ele não ser mais uma boa opção para 2018, mas isso é mentira!

Apesar da taxa Selic ter caído drasticamente, estando abaixo de 7%, isso ainda é viável. Já que primeiramente podemos levar em consideração que esse investimento sempre teve uma alta demanda.

Um bom exemplo disso foi o ano passado, no qual em 12 meses o Tesouro Direto teve um aumento de 79,03% de novo participantes.

Além disso para quem quer começar a investir o Tesouro Direto é uma ótima opção, pois ele é mais seguro ainda tem uma rentabilidade cada vez maior que a poupança.

Isso acontece porque Banco Central estabeleceu que a poupança renderia menos quando a taxa estivesse menor que 8,5% ao ano, o que é o caso agora.

Para você que pretende investir no Tesouro Direto esse ano, uma boa alternativa é escolher os títulos prefixados.

Já que a taxa Selic cai e tende a cair mais. É interessante ter o valor estipulado devido a situação atual.

2. CDBs

Apesar de investimentos em rendas fixas não ser uma das melhores opções esse ano, investir no CDBs ainda pode ser algo favorável.

O que é CDB?

Afinal esse é um tipo de investimento que costuma ter uma rentabilidade boa, principalmente se você buscar bancos menores que geralmente pagam ainda mais.

Além disso, os CDBs não apresentam tanto risco, pois encontramos o FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que assegura valores de até R$ 250 mil.

Portanto se você não busca resgatar o seu dinheiro rápido e apresenta um perfil conservador invista em CDBs de médio a longo prazo. Hoje você encontra CDBs rendendo até 120% do CDI.

3. Fundos Multimercados

Para as pessoas de perfil moderado, os fundos multimercados é a melhor opção para 2018. Já que ele teve uma boa repercussão em 2017.

O interessante dele para esse perfil é que ele está no meio de investimentos conservadores e agressivos, o que serve perfeitamente para esse caso.

Fundos Multimercados

Uma ótima vantagem para esse investimento é que ele possui uma flexibilidade. Então você pode fazer modificações com o tempo, encontrando boas maneiras de sempre lucrar mais.

Se você se encontra no perfil moderado, mas está mais para o lado agressivo, sugiro que escolha investimentos em ações ou câmbio.

4. Fundos Imobiliários

A próxima opção são os Fundos Imobiliários, investir em rendas variáveis agora é uma ótima opção já que os juros estão baixos.

Esse tipo de investimento é recomendo se você tem um perfil mais agressivo. O interessante dele também, é que continua em alta, já que de acordo com a Bolsa de Valores no ano passado os números de investidores cresceram em 39%.

Apesar desse tipo de investimento ser mais arriscado, ele apresenta ter uma ótima perspectiva nesse ano, principalmente se você investir em grandes Shoppings Center.

Fundos_Imobiliarios

Pois além dos alugueis que tendem a aumentar, acreditamos que situação econômica atual irá favorecer para pessoas consumirem mais. Ou seja, mais compras em shopping oferece um ótimo retorno.

Agora sim você já sabe os melhores investimentos de 2018. Não se esqueça de fazer uma análise do que mais se adéqua  a você, antes de começar investir!

Gostou desse artigo? Queremos um feedback nos comentários! E não se esqueça de estar sempre conferindo novos artigos para aprender sempre mais sobre finanças!

Leia também: Consórcio imobiliário, essa é uma boa hora para se investir?